domingo, outubro 22, 2006

Afinal é uma questão de QI

Esqueçam os séculos de discussão filosófica sobre a existência de Deus. Esqueçam os infindáveis debates teológicos sobre a natureza da divindade. Esqueçam os medievais. Esqueçam Descartes, Pascal, Espinosa e Kant. Esqueçam os gnósticos e os místicos. Esqueçam a Bíblia e o Corão.

José Rodrigues dos Santos foi ao Canadá e comprou uns livros de Física e Matemática (suponho que no pacote também veio Leibniz – e seguramente Voltaire ficou na estante). Resultado? O problema está para sempre resolvido.

"Se queremos provar a existência de Deus temos que procurar duas coisas: inteligência e intenção. Se lhes mostrar o meu relógio, vêem que é um objecto inteligente que foi feito com uma intenção e por um ser inteligente. E se olharem para a água: ela exerce uma função e é concebida com inteligência." (estão a perceber como é simples?).
"Quando olhamos para o universo encontramos inteligência, do micro ao macrocosmos. E isso é um poderoso indício da existência de Deus. Associando isso a outros princípios, conseguimos fazer a prova da existência de Deus.”.

Pena que, no meio de tanta esperteza, tenhamos ficado com as dores de dentes, as hemorróidas e as filas de trânsito.

8 Comments:

Anonymous tio pepe said...

Aqui está mais uma prova de como os senhores jornalistas conseguem dissertar sobre tudo... A cultura do micro-ondas está para ficar!

22/10/06 19:30  
Anonymous VBM said...

Tem graça que fales nisso, porque hoje -- enquanto tentava desencravar uma lasca de maça que se intrometeu entre os meus caninos -- deparei com esse senhor a dissertar na televisão sobre a (por demais evidente) demonstração onto-teológica da existência de Deus. E, enquanto contemplava (atónito) a sequência de barbaridades verbais que o senhor ia desfiando, só pensava «se a ignorância atrevida fosse devidamente taxada, resolvíamos o problema do deficit em menos de uma semana». E tremo de medo ao pensar que aquela criatura lecciona uma cadeira no ensino universitário. Bem-vindos ao Botswana mental!

22/10/06 23:38  
Anonymous André, o campos said...

Talvez fosse mais útil esse senhor jornalista (que eu li uma vez algures que consegue escrever 15 páginas de romance por noite!! - e eu que demoro 2 meses para cagar 10 páginas de tese) dissertar acerca da "inteligência" e "intenção" das tácticas do Fernando Santos para o Benfica.
É que lá no meu clubinho bem precisamos de carolas dessas, em especial para ganhar ao, como diz o mesmo senhor jornalista, "Manchster UnIIted".

23/10/06 00:45  
Anonymous Castanheira said...

Afinal, parece que a coisa é simples: misturam-se ignorância e pretensão (coisas que sempre vêm em conjunto) num tacho de alarvidade a ferver, cagam-se (cito o André Campos) meia dúzia de páginas com letras q.b. organizadas de forma aleatória e, portanto, mística (numa sociedade sem escapes escatológicos, este é o único que vale o trabalho, dado que o alívio intestinal é um prazer comprovado, mesmo quando o local de saída está situado a norte do ânus), mexe-se bem e deixa-se repousar durante meia hora. Depois, é só servir quentinho à hora do jantar, pois à lá coisa melhor do que provar Deus ao mesmo tempo que se comem uns belos jaquinzinhos com arroz de tomate, acompanhados por aqule vinhi branco fresquinho lá da terra.

A única coisa pior que um ignorante, é um ignorante com a mania das grandezas, embora esta espécie seja autóctone nessa zona do globo.

23/10/06 10:08  
Anonymous Castanheira said...

Desculpem lá o 'à' sem 'h'.

23/10/06 10:09  
Anonymous volchok said...

Devemos concluir que deus mora na suíça e é relojoeiro? É isso?

23/10/06 10:41  
Anonymous lavínia said...

e de resto... é ver as filas às portas das livrarias portuguesas para comprar essa tão aguardada fórmula cabal..

23/10/06 16:31  
Blogger Ângulo Saxofónico said...

A imbecilidade pública sempre foi uma constante. O grave, parece-me, é que o espaço para a propagação da dissonância se vai tornando cada vez mais apertado. Abraço.

24/10/06 13:02  

Enviar um comentário

<< Home