terça-feira, maio 15, 2007

A preferida dos portugueses

Já não bastava termos mandado para o Festival da Eurovisão uma música pimba sem ponta de graça, ainda tivemos o discernimento de atribuir 12 pontos à canção da Ucrânia, interpretada por um travesti marciano e cantada em alemão, russo e inglês, com a qualidade que o vídeo atesta. Aguardo pacientemente por um estudo sociológico dedicado aos televotantes portugueses – os tais que escolhem Salazar, votam neste freak-show e expulsam celebridades de concursos pirosos.

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

O voto dos imigrantes ucranianos que residem em Portugal justifica os 12 pontos atribuídos àquela música fantástica. Pelo mesmo motivo, na Alemanha a canção mais votada foi a da Turquia. Serve como estudo sociológico?

16/5/07 12:43  
Blogger José Gomes André said...

Depende do que nos contenta. Se essa resposta simplista o satisfaz, chega e sobra. Mas então, pergunto: agora é moda os imigrantes ucranianos passarem o sábado à noite colados ao televisor, aguardando impacientemente pela possibilidade de fazerem um televoto? Os ucranianos em Portugal, na sua maioria trabalhadores esforçados em empregos fisicamente exigentes, gente humilde e com dificuldades na vida, revêem-se numa música intepretada por extraterrestres e cantada em línguas que não a deles?

E já agora, porque o caro anónimo ficou satisfeito, quer explicar-me os 10 pts atribuídos à Moldávia, os 6 à Bulgária e os 5 à Sérvia? Não me vai dizer que os desgraçados que passam o dia a limpar pára-brisas foram a correr gastar dinheiro numa chamada de valor acrescentado no sábado à noite, ou vai?

16/5/07 15:12  
Anonymous outro anónimo said...

Realmente, Ucrânia em primeiro e Moldávia em segundo é muita coincidência...

17/5/07 00:07  
Anonymous Anónimo said...

nunca tinha pensado que os emigrantes ucranianos tivessem uma vida tão desgraçada em Portugal. Se calhar, é porque sou casada com um e, às vezes, até temos dinheiro para ir jantar fora ao Bairro Alto. Temos muita sorte. A musica era, de facto, detestável, mas era a representante da Ucrânia, o que justifica o voto dos humildes ucranianos. Os 10 pts atribuídos à Moldávia reforçam a minha teoria "sociológica", como destacou o "outro anónimo". A música da sériva era simplesmente a mias bonita. Aliás, foi a que ganhou. Além disso, era cantada em sérvio, uma língua eslava, facilmente compreendida por ucraniados, moldavos, russos e outros trabalhores esforçados e com empregos fisicamente exigentes que, coitados, imigraram para Portugal. Mojego swiata, caro José!

18/5/07 11:02  
Blogger José Gomes André said...

De facto, é fácil ser mal compreendido... Este post tinha um único objectivo: salientar que a canção mais votada EM Portugal (por portugueses ou não) era uma trampa musical. Infelizmente, parece-me que algumas pessoas acharam que o post era um tratado sobre a imigração em Portugal.

Cara "anónima" (a última), nunca disse que os ucranianos tinham uma vida desgraçada em Portugal. Quando utilizei o termo "desgraçado", referia-me às crianças e famílias moldavas que, por norma, são pedintes ou lavam para-brisas dos carros nos semáforos em Lisboa. Quanto aos ucranianos disse, e repito, que acho que não se revêem na tristeza de música que ficou em 2º na Eurovisão e que, portanto, achava que para receber os 12 pts em Portugal, teria havido muitos portugueses, além de alguns ucranianos, que votaram na música.

Pelos vistos, ficou ofendida por eu ter dito que os ucranianos são trabalhadores esforçados com empregos fisicamente exigentes. Preferia que tivesse dito que são uns preguiçosos? Não é essa a ideia que tenho, lamento. E sim, têm empregos fisicamente exigentes. Não sei se vão jantar ao bairro alto, ou à lapa, mas a esmagadora maioria trabalha na construção civil. Se a senhora acha que isso não é um trabalho fisicamente exigente, é porque deve ser auxiliar de dentista, de certeza.

Para terminar, quanto à explicação "sociológica" dos votos: só um imbecil é que não percebe que os votos na Eurovisão são ESSENCIALMENTE políticos, geografica, cultural e linguisticamente motivados. Por isso os países de Leste ficam usualmente bem classificados. Mas como quase sempre, ISSO NÃO BASTA como explicação. Há critérios musicais (e o post, repito, era sobre isso) que, de forma mais ou menos forte, mais ou menos mitigada, pesam na decisão das pessoas fazerem um televoto. Ou vai dizer-me que a FINLÂNDIA ganhou o ano passado devido à sua língua popular e muito apreciada por toda a Europa? Ou talvez devido à existência de muitos e bons países vizinhos?

18/5/07 11:26  
Blogger estela said...

bem, como te tinha dito já, está soberba a tua apreciação. Não +e por ser tua irmã que o digo, mas por estar mm!
Realmente o eurofestival foi e é uma palhaçada já há lguns anos, mas intensificou-se neste 2 últimos.
Ainda me lembro de ver religiosamente o festival e apontar num papelinho as canções de que gostávamos. aliás, lembro-me de fazer isso ctg.
Este ano também tentei com o meu joão, mas a tenativa falhou, não conseguimos gostar de nenhuma!
Admiro-me porém que portugal, com a música pirosa que tinha não tenha feito parte do ramalhete! não ficava nada mal!
penso que o formato tem de ser revisto com urgência, bem como a selecção de canções e tb o sistema de votação.
bj

18/5/07 16:07  

Enviar um comentário

<< Home