domingo, dezembro 09, 2007

A era do vazio

A revista Única do "Expresso" inclui este sábado mais uma reportagem sobre José Sócrates, desta vez reproduzindo uma entrevista que este concedeu ao "El País". Já nem vou falar da propaganda, totalmente gratuita e descarada. Fico-me apenas pela entrevista – digna de uma revista cor-de-rosa – que constitui um conjunto bizarro de futilidades e tiradas vazias.

“Correr é um exercício fantástico, podemos fazê-lo em qualquer sítio e é muito bom para visitar as cidades.” [profundo]

“Nos momentos difíceis é necessário a firmeza, não desistir perante os obstáculos, não escolher o fácil ou fazer rodeios, mas sim caminhar seguindo a nossa convicção.”; “gosto de servir o meu país nos momentos difíceis, não nos fáceis.” [ao melhor estilo de Tarzan Taborda]

Não sou autoritário, nem reservado nem austero. Ouço os outros e gosto de falar com as pessoas.” [inspirado pelo programa da manhã da TVI]

“Gosto da acção, mas também da reflexão, do pensamento. Sou uma mescla dessas duas coisas. Há um paradoxo permanente em mim, acção e contemplação...” [poesia barata]

“Não podemos permanecer parados. Há que mudar, e rápido, sobretudo em alguns sectores, para encontrar o nosso lugar na economia global.” [profundo, parte 2]

Temos muito trabalho pela frente, mas não choramos... O meu compromisso é modernizar o país. E temos confiança.” [o discurso de psicólogo marca sempre pontos]

“Uma das coisas piores de ser primeiro-ministro é que se reduz o tempo para ler, mas no Verão leio compulsivamente.” [ao melhor estilo da “Caras”]

“Somos um país de poetas, mas uns são melhores do que outros, claro.” [profundo, parte 3]

“sou sócio do Benfica [...] mas não sou fanático; prefiro a selecção. [...] Fui a Budapeste com a minha mulher e recordo a emoção ao ver saltar para o campo a selecção.” [o inevitável momento patriótico, para terminar]

Não consigo imaginar um melhor retrato da mediocridade que nos governa.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"Aquilo"não existe :é um faz-de-conta,um boneco de ventríloquo.
Um sub-produto do caneiro a céu aberto a que nós (ainda) chamamos país...

9/12/07 11:59  
Anonymous Anónimo said...

Epá, tirando um pormenor ou outro (isso de ser do Benfica, por exemplo), isto eram coisas que podiam perfeitamente sair pela boca de um Santana Lopes...

10/12/07 10:16  
Blogger alice said...

qual mulher?!

12/12/07 14:07  

Enviar um comentário

<< Home